Saltar para o conteúdo principal

1989

29 e 30 de abril

Assembleia Constituinte

“Aos vinte e nove dias e trinta do mês de abril de mil novecentos e oitenta e nove, no Auditório dois da Faculdade de Letras da Universidade Clássica de Lisboa, teve início pelas dez horas a Assembleia Constituinte da Associação dos Cegos e Amblíopes de Portugal”. Assim começava a Ata da Assembleia Constituinte da ACAPO de onde saíra uma proposta para a constituição da Comissão Instaladora, presidida por Francisco Alves e uma primeira versão dos Estatutos da ACAPO. [link para Estatutos] O evento histórico, que muitos recordam pela emoção vivida em torno de um objetivo comum, contou com a presença de sessenta delegados, vinte de cada uma das organizações (ACLB, LCJD e ACNP), e a sessão protocolar, presidida por um representante do Governo Civil da Lisboa, Hermínio Santos, ao lado do Presidente do Grupo de Ligação EBU/CEE, Tom Parker, do diretor da ONCE, Ricardo Gayol, de um representante do Centro Regional da Segurança Social de Lisboa, Eugénio da Costa Pereira, de um representante do Instituto de Emprego e Formação Profissional, António Charana e dos membros da Comissão Nacional para a Unificação das Associações de Cegos (CNUAC), Filipe Oliva e Rui Silva.

20 de outubro

Escritura de constituição da ACAPO

Em cerimónia pública, ocorrida no dia 20 de outubro de 1989, no Hotel Roma, em Lisboa, era assinada a escritura de constituição da ACAPO. A escritura ficaria registada no 5.º Cartório Notarial de Lisboa, a cargo da notária Maria Adília Borges Tristão. A associação estava sediada na Rua de São José, 86, apresentando como fim a promoção e integração na sociedade dos cegos e amblíopes portugueses. Na escritura ficava estabelecida a possibilidade de poderem ser sócios todas as pessoas singulares e coletivas, agrupando-se em três categorias: efetivos, cooperantes e honorários. O documento expressava ainda a perda da qualidade de associado por aqueles que “injustificadamente tenham quotas em atraso por mais de 12 meses”.

1990

3 de março

Tomada de Posse dos órgãos nacionais da ACAPO

No dia 3 de março, pelas 17h00, realizava-se a primeira tomada de posse nos órgãos nacionais da ACAPO. Compareceram perante o vice-presidente da Comissão Instaladora da ACAPO, Filipe Oliva, os membros da Direção Nacional e do Conselho Fiscal eleitos a 27 de fevereiro de 1990.

28 e 29 de abril

1.ª Assembleia de Representantes da ACAPO

Um ano após a Assembleia Constituinte, tinha lugar a 28 e 29 de abril, no Secretariado Nacional de Reabilitação, a 1.ª reunião magna da ACAPO. Da ordem de trabalhos saliente-se a eleição da Mesa da Assembleia de Representantes (Filipe Pereira Oliva, Claudino Areeira Pinto, Fernando Gabriel Pacheco Gonçalves) e a discussão de questões como a comunicação e imagem da ACAPO, desporto, formação profissional, pessoal, ação social, instalações e cooperação com municípios.

8 a 15 de outubro

3ª Assembleia Geral da UEC

Entre 8 e 15 de outubro, Lisboa recebia a 3.ª Assembleia Geral da União Europeia de Cegos (UEC), um "acontecimento marcante" que congregou cerca de 300 pessoas, representantes de 28 países europeus. A Revista Traço-de-União [nº0, janeiro a março de 1990] referia-se à reunião como um "acontecimento marcante" que colocava "em bom plano a nível internacional" os cegos e amblíopes portugueses. Não obstante, em declarações a esta publicação [Revista Louis Braille, n.º 12] [link para a Revista], Francisco Alves, Presidente da Direção Nacional da ACAPO, assumia que "nos próximos anos", a participação da organização a nível internacional, deveria fazer-se de forma "bastante modesta devido à necessidade de resolver tarefas internas" que não poderiam deixar de "ser consideradas prioritárias". A organização do evento estava orçamentada em cerca de 19.000$00 (dezanove mil contos), tendo a ACAPO contribuído com uma verba de 3.000$00 (três mil contos), assegurada por via de uma campanha de angariação de fundos dirigida a diversas empresas e entidades.

15 de outubro

Inauguração do Centro de Formação e Produção

No Dia Mundial da Bengala Branca os serviços de formação profissional e produção Braille saem da Rua de S. José, sede da Direção Nacional, e são transferidos para a zona de Chelas. Anos mais tarde, em 2009, sempre na procura de instalações mais condignas, com o apoio da Fundação EDP, o serviço de produção Braille (Centro de Produção Documental) recebia obras de requalificação e recuperação e eram adquiridos novos equipamentos.

1991

Janeiro

Lançamento da Revista Traço-de-União, órgão oficial da ACAPO

Corria o ano de 1991 quando a ACAPO apresentava "aos interessados pelas questões tiflológicas" o número zero de Traço-de-União - Revista Oficial da ACAPO. No primeiro editorial da Revista, lê-se que eram objetivos desta publicação "dar a conhecer toda uma Associação que é cada vez mais respeitada e prestigiada", "suscitar e promover o debate e reflexão sobre as grandes questões associativas", "interessar e encorajar pela coisa associativa", "defender interesses" e "contribuir para o reforço e coesão do associativismo". Traço-de-União era publicada em Braille, áudio e tinta, visando desta última forma envolver não só os associados, mas todos aqueles que trabalhavam ou se interessavam pela deficiência visual. No que respeitava à estrutura, a Revista começou por ser constituída por um bloco de notícias intitulado «Nos placares da ACAPO» e rubricas como «As Dicas do Causídico», sobre informação legislativa, «Humor Cego», que abordava de modo descontraído, e até humorístico, os problemas diários das pessoas com deficiência visual, «Os nossos Cegos», um espaço reservado às histórias pessoais de associados da ACAPO e reais exemplos de integração, ou «Do Ponto de Vista do Leitor» onde os associados podiam expor ideias, esboçar projetos ou simplesmente apresentar sugestões. Quanto à denominação da Revista, esta pretendia remeter para ideias como "unidade", "ligação", "associação" e "associativismo". Contudo, o nome só haveria de perdurar duas edições, já que era propriedade do Clube Estrela, Clube de Campismo e Caravanismo. Assim, nos números 2 e 3 (julho a dezembro de 1991), a Revista Oficial da ACAPO passaria a denominar-se «Luís Braille», o que levava o Presidente da DN e Diretor da publicação, Francisco Alves, a concluir "que há males que vêm por bem". Em 1998, por opção editorial, a Revista deixava de ser impressa a Braille, sendo mesmo extinta no ano de 2001.

4 de maio

A importância da prática desportiva na integração social dos cegos e amblíopes

Aproveitando a presença dos membros do executivo da IBSA (International Blind Sports Federation) em Lisboa, a ACAPO organizou dia 4 maio, no Centro de Estágio de Desportistas, na Cruz Quebrada, o seminário intitulado «A importância da prática desportiva na integração social dos cegos e amblíopes».

22 a 26 de maio

«Index Conference»

Em resposta a uma solicitação da empresa sueca Index Braille Printer Company, fabricante de impressoras Braille, a ACAPO organizava a conferência internacional «Index Conference». Neste evento tinha ainda o lugar o lançamento de novos produtos da marca.

19 de outubro

A inserção sócio-profissional dos fisioterapeutas cegos e amblíopes

Cerca de 90 pessoas, entre responsáveis governamentais, escolas de fisioterapia, professores do ensino integrado, fisioterapeutas e massagistas, marcavam presença nesta conferência. O evento da ACAPO, realizado em parceria com a ONCE e IEFP, pretendeu debater os obstáculos colocados às pessoas com deficiência visual no acesso à carreira de fisioterapeuta.

6 a 10 de dezembro

AJUTEC-91

A participação da ACAPO na Feira Internacional de Tecnologia Médica e Assistência a Pessoas Deficientes (AJUTEC) iniciava-se em 1991. A ACAPO alugou seis módulos (52m2) que partilhou com diversos expositores seus convidados, oriundos de Inglaterra, Alemanha, Noruega e Holanda. A ACAPO expôs igualmente diversos materiais habitualmente disponíveis no Departamento de Materiais e Centro de Produção, em Chelas.

1992

14 de outubro

Inauguração das instalações Delegação Regional do Centro da ACAPO

Em 1992, a ACAPO adquiria um imóvel na Rua dos Combatentes da Grande Guerra, em Coimbra, que passaria a albergar a Delegação Regional do Centro, hoje designada Delegação de Coimbra. Foram “as primeiras verdadeiramente nossas” já que eram as primeiras a ser adquiridas após a fusão que dera origem à ACAPO. A inauguração destas instalações acontecia por ocasião das celebrações do Dia Mundial da Bengala Branca.

15 e 16 de outubro

Seminário «A Educação dos Cegos e Amblíopes em Portugal: que problemas, que soluções?»

Cerca de 150 participantes reuniram-se para debater os problemas da educação das pessoas com deficiência visual em Portugal. Do seminário realizado em Coimbra, nos dias 15 e 16 de outubro, saiu um conjunto de 15 recomendações das quais se salienta a formação de educadores e professores, a colocação de professores especializados na área da deficiência visual, a criação de Centros de Recursos Educativos e de linhas de crédito com juros bonificados para aquisição de produtos de apoio.

1993

12 de março

Assinatura do Convénio de Colaboração entre ACAPO e ONCE

Em 1993, José Mª Arroyo Zarzosa, Presidente da Organização Nacional de Cegos Espanhóis (ONCE) e Francisco Alves, Presidente da Direção Nacional da ACAPO firmavam um convénio de colaboração. Este acordo previa a cooperação bilateral para a implementação de projetos em diversas áreas, como a ação social, tempos livres, reabilitação e educação, formação profissional e emprego, investigação e tiflotecnia, consciencialização da opinião pública, formação de dirigentes, reforço do associativismo e relações internacionais. Para o acompanhamento do convénio era criada a Comissão para o Desenvolvimento do Convénio (CDC) composta por três membros de cada instituição ibérica e que reúne uma vez por ano. Em mais de vinte anos de convénio foram criados diversos projetos como a oferta de bolsas de estudo a associados da ACAPO para a frequência na Escola Universitária de Fisioterapia da ONCE, apoio na produção de material bibliográfico, formação de técnicos ou cofinanciamento de projetos.

Novembro

ACAPO: Centro Financiador de Ajudas Técnicas

Na década de 90, o financiamento que até 1993 apenas estava sob alçada do Ministério da Saúde, é alargado ao Ministério do Emprego e Segurança Social. A ACAPO enquanto entidade que desenvolvia um “programa de formação profissional para pessoas com deficiência” é credenciada como Centro Financiador de Ajudas Técnicas. Em 1994, a ACAPO começa a gerir um orçamento que rondava os dez mil contos (50 mil euros) anuais.

27 e 28 de novembro

1º Encontro Nacional de Professores Deficientes Visuais

Sob o lema «Pela Dignificação do Professor Deficiente Visual no Sistema Educativo» a ACAPO realizava nos dias 27 e 28 de novembro, em Linda-a-Pastora, o 1.º Encontro Nacional de Professores Deficientes Visuais. Para ajudar a concretizar as recomendações e resoluções que saiam deste encontro foi eleito um núcleo de professores, constituído por membros da Direção Nacional da ACAPO e professores.

1994

5 de maio

Departamento de Materiais a UEST

Em 1994 o Departamento de Materiais da ACAPO constituía-se como empresa. A UET – Unidade de Equipamentos Tiflotécnicos, da qual a ACAPO era sócia maioritária, estava sediada junto à sua sede nacional, na Rua de S. José, em Lisboa. Destinava-se a comercializar diversos materiais para uso das pessoas com deficiência visual, contribuindo para a sua autonomia e independência. Em 2009, iniciando um “reposicionamento comercial da empresa”, a UET passou a designar-se UEST, tendo assim também como objeto social a prestação de serviços para pessoas com deficiência visual. Assumindo-se como uma “porta aberta”, a nova loja da UEST abria numa zona central e de fácil acesso, na loja 6 do átrio norte da estação de metropolitano Jardim Zoológico, em Sete Rios, Lisboa.

12 a 14 de outubro

Conferência «O Sistema Braille aplicado à língua portuguesa»

Constatando-se o fenómeno da "desbraillização", e face à necessidade de serem encontradas medidas para o combater, a ACAPO organizou uma conferência que visou reforçar a ideia do Braille como meio natural de leitura e escrita das pessoas com deficiência visual. O acontecimento que reuniu o interesse de muitos utilizadores deste sistema e de técnicos interessados na área contou ainda com a presença de delegados de três países de língua oficial portuguesa - Brasil, Angola e Guiné.

1995

4 de janeiro

Revista Espiral

No dia do aniversário do nascimento de Louis Braille, tinha lugar no hotel Zurique em Lisboa, o lançamento oficial da Revista Espiral, uma publicação trimestral de âmbito cultural e propriedade da ACAPO. A Revista, complementar ao trabalho da Revista Luís Braille, era publicada até ao ano de 1998.

16 de março

Abertura Núcleo de Ponta Delgada

Iniciava funções em 1995, o Núcleo de Ponta Delgada da ACAPO, hoje constituído como Delegação dos Açores. Situada primeiramente no Lar Luís Soares de Sousa, a Delegação muda de instalações no ano 2000, as quais tendo sofrido obras de beneficiação foram reinauguradas em 2011.

Outubro

Compra de S. José

Com a fusão das instituições em 1989, nas instalações sitas na Rua de S. José, em Lisboa, que antes albergavam a Associação de Cegos Luís Braille, passam a ser desenvolvidos os serviços da Direção Nacional da ACAPO. Após diversos esforços, em 1995 conseguem (finalmente) estar reunidas todas as condições para a compra do edifício. Desde então, o prédio de dois andares, já em estado de degradação avançado, recebe diversas obras de beneficiação mas nenhuma de caráter profundo. Em 2009, os serviços da Direção Nacional da ACAPO, presidida na altura por Carlos Lopes, são transferidos para a Avenida D. Carlos I, também em Lisboa, onde ainda hoje se mantêm. Nesse mesmo ano, no dia 15 de outubro, a ACAPO assinalou o Dia Mundial da Bengala Branca, com o lançamento de um projeto de reconstrução da sua sede nacional. Este projeto foi elaborado em conjunto com um ateliê de arquitetos, tendo como objetivo tornar-se um edifício modelo na área das acessibilidades. Mais recentemente, em outubro de 2014, na data do seu 25º aniversário, a ACAPO anunciou o lançamento de uma campanha de angariação de fundos em favor da reconstrução da sede histórica de S. José.

19 a 21 de outubro

1.º Congresso da ACAPO

Em 1995 lia-se na Revista Luís Braille que "quem esteve presente na sala Milão do hotel Roma, em Lisboa, de 19 a 21 de Outubro de 95, viveu um dos momentos mais altos do associativismo de cegos e amblíopes de Portugal". José Adelino Guerra, diretor adjunto da publicação, dizia que até à realização deste congresso "poucas tinham sido as iniciativas para refletir sobre os problemas que em geral se colocam aos deficientes visuais". Do congresso saíram um conjunto de 33 resoluções/recomendações cruciais para a plena integração das pessoas cegas e com baixa visão.

23 a 27 de outubro

Seminário «Formação de Dirigentes Associativos dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa»

Na sequência do seu I Congresso, a ACAPO realizou uma formação dirigida a dirigentes associativos dos PALOP. O evento juntou cerca de 50 participantes, jovens e dirigentes da ACAPO, organizações internacionais, União Mundial de Cegos, União Europeia de Cegos e de todos os países lusófonos, com exceção de Timor.

1996

Janeiro

Escola de Cães-guia para Cegos

Em 1995, a par do Luxemburgo, Portugal era o único país da União Europeia que não possuía uma escola de cães-guia. No âmbito de um projeto comunitário e graças a uma parceria que juntava a Escola Profissional Beira Agueira, ACAPO, Câmara Municipal de Mortágua e Direcção Regional de Educação do Centro, era fundada em Portugal a primeira, e até ao momento única, escola de treino de cães-guia. Augusto Hortas foi a primeira pessoa com deficiência visual a receber um cão-guia treinado em Portugal. Camila era-lhe entregue em janeiro de 1999 e só em julho do mesmo ano entrava em vigor o Decreto-lei 118/99 que viria estabelecer o direito de acesso dos cães-guia, acompanhados pelo utilizador, a locais, transportes e estabelecimentos de acesso público.

15 e 16 de junho

1º torneio goalball Oporto Cup

Teve no lugar no Porto, nos dias 15 e 16 de junho, a 1.ª edição da Goalball Oporto Cup, uma iniciativa organizada pela ACAPO, em colaboração com FPDD – Federação Portuguesa de Desporto para Pessoas com Deficiência e Câmara Municipal do Porto. O Pavilhão Rosa Mota foi o palco escolhido para a realização do primeiro torneio internacional Goalball levado a cabo em Portugal.

6 de outubro

I Encontro Nacional de Juristas Deficientes Visuais

Cerca de três dezenas de pessoas participaram no I Encontro Nacional de Juristas Deficientes Visuais. Vera Jardim, ministro da Justiça na altura, presidiu a cerimónia de encerramento. A criação de um núcleo de juristas no seio da ACAPO foi uma das recomendações saídas deste encontro.

 

20 de outubro

Abertura Núcleo Beira Interior

Em 1996, data do 7º aniversário da ACAPO, os associados da região da Beira Interior passaram a contar com o seu próprio Núcleo, sediado na cidade da Covilhã. Em 2001, a cedência de umas instalações pela Câmara Municipal Branco propiciam a extensão da atividade da ACAPO e a abertura de mais uma Delegação, desta feita na capital de distrito. Graças a um acordo de cooperação com a Segurança Social é possível às duas Delegações coexistirem até 2009, ano em que a entidade cessa o protocolo com a Delegação da Covilhã. Assim, com o intuito de rentabilizar os recursos, a ACAPO passa a estar sediada em apenas uma cidade, Castelo Branco, embora a abrangência de atuação diga respeito a todo o distrito.

Março

Comissão de Braille

Três anos antes, a ACAPO apresentava ao Secretariado Nacional de Reabilitação (SNR) um projeto para a criação de uma Comissão com competência para intervir em todas as matérias relacionadas com a problemática do Braille. Na altura, o projeto recebeu do SNR propostas de reformulação, uma das quais inaceitável para a ACAPO: o organismo não exigia que a presidência da Comissão Braille fosse ocupada por um responsável com deficiência visual. Esta divergência faria tardar a criação da Comissão de Braille mas em 1996 era apresentado um projeto de decreto-lei que finalmente atendia às exigências da ACAPO. A 22 de março de 1996 a Direção Nacional da ACAPO deliberava em reunião a adesão ao projeto, nomeando Fernando Matos para acompanhar a institucionalização desta Comissão. Todavia, os trabalhos desta Comissão não se desenvolveram de forma tão célere como desejável, tendo apenas elaborado e apresentado em 2002 a terceira versão da Grafia Braille para a Língua Portuguesa. Esta inatividade vinha ditar o fim da Comissão e em 2009, ano do Bicentenário do Nascimento de Louis Braille, dava lugar ao Núcleo para o Braille e Meios Complementares de Leitura. No início de 2015, este Núcleo apresentou uma nova revisão da Grafia Braille.

Dezembro

Comissão de Desenvolvimento das Associações de Cegos dos Países de Língua Portuguesa

A constituição da CDAC teve como principal objetivo institucionalizar a cooperação entre as organizações não-governamentais de cegos dos PALOP. Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal e S. Tomé e Príncipe eram os países constituintes desta Comissão. A inatividade do projeto, e necessidade da sua reformulação, ditaria o seu fim. Em dezembro de 2014, retomando os objetivos da CDAC, a ACAPO será a entidade anfitriã da assinatura do protocolo que dará lugar à constituição da União de Cegos de Língua Portuguesa.

1997

26 de fevereiro

Inauguração novas instalações da sede Delegação Norte

Já em 1988, Rui Silva, presidente da Direção da Associação dos Cegos do Norte de Portugal, encetava contactos no sentido de recuperar o edifício que servia de sede à instituição. Com a unificação das associações que viriam a dar origem à ACAPO manteve-se a vontade, e acima de tudo a necessidade, de concretizar este projeto. Quase uma década depois, a 26 de fevereiro de 1997, a ACAPO inaugurava a nova sede da sua Delegação do Norte. A ONCE comprometia-se a contribuir para a execução desta obra em 20 milhões de escudos, desde que a Câmara Municipal do Porto doasse uma verba idêntica, o que se veio a registar. A obra, executada por fases, incluiu a construção de um refeitório, sala polivalente com balneários, salão nobre e salas de atendimento. A cerimónia de inauguração contou com a presença de diversas individualidades, entre as quais o Secretário de Estado da Inserção Social, Rui Cunha.

4 e 5 de outubro

I Encontro Nacional de Telefonistas Deficientes Visuais

Pretendendo promover o encontro e troca de experiências entre os profissionais telefonistas e contribuir para a sua dignificação, pugnando pela defesa dos seus direitos e garantias, a ACAPO organizava, em 1997, o I Encontro Nacional de Telefonistas Deficientes Visuais. Contrapondo a ideia que se tratou de mais um encontro, Francisco Alves, coordenador da redação da Revista Luís Braille defendia que “foi um dos encontros mais profícuos e fecundos que a ACAPO já realizou”.

21 de maio

Conselho Ibero-Americano do Braille

Brasil, Espanha, Hispano-América e Portugal fundam no ano de 1997 o Conselho Ibero-Americano do Braille. A criação deste organismo tinha o objetivo de uniformizar o sistema Braille na área ibero-americana e definir uma estratégia comum para a sua aplicação e difusão. Embora tenha conhecido um período de inatividade, o projeto foi retomado em 2010 em Montevideu. Neste momento estão a ser desenvolvidos vários trabalhos, sendo destes o mais avançado, a revisão do Código de Matemática Unificado. Atualmente o Conselho é coordenado pela Hispano-América.

1998

11 de julho

Seminário analisa o papel das novas tecnologias na integração

Pretendendo incentivar o debate sobre o acesso aos novos meios de informação, a ACAPO organizava o seminário «As Novas Tecnologias e a Informática como Factor de Formação e Integração Social dos Deficientes Visuais». No seminário, do qual saiu ainda um alerta relativamente aos riscos da infoexclusão, foi dado particular relevo à função que a Internet poderia vir a assumir no campo da integração das pessoas com deficiência visual. As conclusões dos trabalhos foram publicadas nas edições nº 28 e 29 da Revista Luís Braille.

14 de julho

Inauguração Núcleo de Viseu

Em 1998, a ACAPO inaugurava um núcleo na cidade de Viseu. Inicialmente o núcleo funcionava em instalações cedidas gratuitamente pela Santa Casa da Misericórdia daquela cidade. Posteriormente, em 2008, procurando-se uma solução mais adequada às necessidades de todos os que a procuram, a ACAPO adquiriu instalações próprias para a sua Delegação de Viseu.

1999

Abril

Núcleo Distrital de Braga da ACAPO

A 25 de abril de 1999, a ACAPO inaugurava o Núcleo Distrital de Braga da ACAPO. Face ao crescimento da Delegação, propiciada pela entrada em vigor de um acordo de cooperação com o Centro Distrital de Solidariedade e Segurança Social de Braga, em 2004 a Delegação mudou-se para a Rua do Matadouro nº51. Em março de 2010 foram adquiridas instalações próprias na Rua Cruz de Pedra, nº114, onde funcionam atualmente os serviços da ACAPO naquela cidade.

20 a 26 de junho

II Campeonato da Europa de Futebol de Cinco para Cegos

No mês das Festas da cidade, o Porto recebia o II Campeonato Europeu de Futebol para Cegos. À ACAPO caberia a organização deste evento europeu, a primeira das duas competições que preenchiam o ano de 1999. Neste evento, a vizinha Espanha sagrava-se, pela segunda vez consecutiva, campeã europeia da modalidade.

5 a 13 de setembro

X Campeonato Europeu de Atletismo para Cegos e Amblíopes

Dez anos após a sua fundação, a ACAPO organizava pela segunda vez no mesmo ano, uma competição desportiva internacional. Em setembro de 1999, Portugal recebia o X Campeonato Europeu de Atletismo para Cegos e Amblíopes, uma competição que levou até ao Estádio Universitário, em Lisboa, quase 500 pessoas, entre atletas, técnicos, dirigentes e acompanhantes. Como mascote deste X campeonato foi escolhida Camila, o primeiro cão-guia a ser treinado em Portugal, pela Escola Beira Agueira de Mortágua.

Setembro

«África Braille»

Neste ano, a ACAPO iniciava em S. Tomé e Príncipe o projeto «África Braille», que visava a especialização de professores no ensino do sistema Braille, um de técnico de produção Braille, de um técnico de orientação e mobilidade, da criação e apetrechamento de um Centro de Reabilitação Básica e consciencialização das autoridades locais para a problemática da deficiência visual. «África Braille» teve como parceiro local a Associação dos Cegos e Amblíopes de S. Tomé e Príncipe.

16 de setembro

Centro de Recursos Especializado

Para o desenvolvimento das atividades de emprego, em articulação com o IEFP, em 1999 a ACAPO era credenciada como centro de recursos especializado. Assim, para além da formação profissional, a ACAPO via ser credenciada a sua atividade no apoio à colocação em contexto profissional e orientação no contacto com as entidades empregadoras. Este reconhecimento vinha colocar a ACAPO entre as entidades mais credíveis em matéria de recursos específicos para a área da deficiência visual. Em 2012, obtinha a credenciação nas áreas da informação, avaliação e orientação para a qualificação e para o emprego (onde se incluem os processos de produtos de apoio), apoio à colocação, acompanhamento pós-colocação e avaliação da capacidade de trabalho.

2000

16 de outubro

Dia Mundial da Bengala Branca

No âmbito das comemorações do Dia Mundial da Bengala Branca, a ACAPO lançava um desafio aos que passavam pela Estação Marquês de Pombal do Metropolitano de Lisboa: de olhos vendados tentar comprar um bilhete através de uma máquina ou descobrir a conta da água entre a correspondência. O desafio que a ACAPO lançava aos utentes do metro estendia-se também a algumas figuras do panorama político. Ferro Rodrigues, Ministro do Trabalho e da Solidariedade, Mariano Gago, Ministro da Ciência e Tecnologia e Francisco Louçã, deputado do Bloco de Esquerda, privados da visão, tentaram desempenhar algumas tarefas que fazem parte do dia-a-dia de todos e assim comprovar as dificuldades com se deparam as pessoas com deficiência visual.

27 de outubro

Seminário sobre igualdade de oportunidades

O emprego e formação de pessoas com deficiência era o tema do seminário «Pensar, Aprender, Formar – Igualdade de Oportunidades para Pessoas Cegas e Amblíopes», organizado dia 27 de outubro, no Oceanário de Lisboa. Para além da apresentação de diversas comunicações e do debate em torno do tema, foram apresentadas neste seminário Fichas de Bolso, simples mas completos materiais de trabalho que visavam auxiliar os formadores na preparação e condução de sessões formativas. O seminário surgia no âmbito de um projeto que juntava a ACAPO, a INOFOR (Instituto para a Inovação da Formação), o Secretariado Nacional para a Reabilitação e Integração das Pessoas com Deficiência (SNRIPD), a Iniciativa Acesso e a APEC (Associação Promotora do Ensino dos Cegos).

 

Dezembro

Delegação de Viana do Castelo

No ano 2000, do seio de uma coletividade de pessoas com deficiência visual nascia a Delegação de Viana do Castelo da ACAPO. Dois anos depois, em 2002, era estabelecido um acordo de cooperação com a Segurança Social, e iniciava-se assim um trabalho mais especializado junto das pessoas com deficiência visual do distrito.

2001

Fevereiro

Núcleo de Águeda

Em 2001, a ACAPO concretizava uma aspiração de há longos anos. Com a cedência de um espaço no Mercado Municipal de Águeda proporcionava-se a abertura do Núcleo Regional de Águeda que, em 2008, viria dar lugar à Delegação de Aveiro da ACAPO.

28 de abril

GESTA-MP

Em 2001, nascia o GESTA-MP, Grupo de Estudos Sociais, Tiflológicos e Associativos - Movimento Progressista, um movimento cívico que passaria a exercer a sua atividade “fundamentalmente no âmbito da ACAPO, com respeito pelos Estatutos desta organização”. O Grupo era constituído com o objetivo de investigar, estudar e preparar/apresentar medidas concretas que contribuam de uma forma eficaz, para a integração social de cegos, surdocegos e amblíopes, motivando-os a uma plena participação social e intervenção associativa. O GESTA-MP empenhar-se-ia ainda na gestão da ACAPO, mandatando “filiados seus para as candidaturas aos corpos sociais” da instituição, ou apoiar “candidaturas integradas por indivíduos não filiados”.

19 de maio

Núcleo Regional de Leiria

Em 2001 iniciava-se a atividade da ACAPO em Leiria, com a criação de um Núcleo Regional. Em outubro de 2004 era estabelecido o primeiro acordo de cooperação com a Segurança Social, que viria a permitir a contratação de um técnico de serviço social, psicólogo e administrativo.

24 de maio

Debates em videoconferência

Em 2001, a ACAPO realizava uma videoconferência subordinada aos temas do ensino do Braille, novas tecnologias e mobilidade. O evento, que recebeu o apoio da Portugal Telecom, decorreu simultaneamente nas cidades de Coimbra, Lisboa, Porto e Viseu, na presença de 300 pessoas (pais, alunos, professores, técnicos). A sessão de abertura foi presidida por Augusto Santos Silva, então Ministro da Educação.

19 novembro

Conferência «A Sociedade da Informação e a Deficiência Visual»

No âmbito da semana da Ciência e Tecnologia, a ACAPO organizava a conferência «A Sociedade da Informação e a Deficiência Visual». Através desta conferência pretendia-se abordar os principais riscos de exclusão à sociedade da informação. Mariano Gago, Ministro da Ciência e Cultura, presidia à sessão de abertura.

2002

1 de janeiro

Moeda Única

Em janeiro de 2002 entrava em circulação o euro. A ACAPO, representante de Portugal na União Europeia de Cegos, acompanhava o processo de introdução do euro, de modo a garantir a devida familiarização das pessoas com deficiência visual à nova moeda.

                                                                                                                               

Fevereiro

Sorteio

Herdando uma atividade das instituições que lhe deram origem, a ACAPO organizou até ao ano de 2002 três sorteios anuais, que durante anos contribuíram para a sua sustentabilidade financeira. O sorteio era autorizado pelo Governo Civil e Direção Geral de Jogos e Espectáculos, sendo os prémios constituídos por automóveis e eletrodomésticos. Sem uma estrutura para vender os bilhetes de jogo, estes eram entregues a pessoas externas à ACAPO, os chamados «encarregados de jogo», responsáveis por promover a sua venda. A linguagem utilizada, com apelos à caridade e comiseração, eram encarados como “um mal necessário”, pois se por um lado atentavam ao bom nome da ACAPO e imagem das pessoas com deficiência visual, a sua suspensão repentina poderia “gerar um colapso económico”. Esta situação manteve-se até 2002, pois contrariamente ao que “sucedia no passado”, lê-se no Relatório de Atividades da Direção Nacional da ACAPO de 2002, o sorteio “não suportava mais do que uma percentagem reduzida do valor das despesas”. A partir de então, a Direção Nacional iniciava uma procura por fontes de financiamento alternativas.

9 de março

Abertura Delegação do Algarve

Em 2002 nascia em Tavira, a Delegação da ACAPO mais a sul de Portugal Continental. Com a assinatura de um protocolo de cooperação com o Centro Distrital da Segurança Social a Delegação mudava-se em novembro de 2004 para a capital de distrito, Faro, onde dava início à prestação de serviços mais especializados a pessoas com deficiência visual. A 25 de outubro de 2013, com o apoio do Lions Club de Vilamoura e Loulé e de um gabinete de arquitetura, alargava os serviços prestados com a inauguração de uma cozinha preparada para o treino de atividades da vida diária.

18 de fevereiro

Software Braille Music Editor

Durante o workshop «Novas Tecnologias de Computadores com aplicação para deficientes visuais: Editor de Programa de Música Braille», tinha lugar a apresentação do software Braille Music Editor. Trata-se de um programa que permite a músicos com deficiência visual a edição de partituras, usando a grafia Braille musical. O programa foi desenvolvido por uma empresa europeia, em parceria com a ACAPO, no âmbito do projeto «Play 2», que visava incentivar e facilitar a aprendizagem da musicografia Braille.

15 de outubro

Campanha de Solidariedade

Neste ano, várias personalidades do panorama português aceitavam o convite da ACAPO para dar a cara a uma campanha de solidariedade, que tinha como objetivo a angariação de novos associados e doadores. Colaboraram nesta iniciativa Rosa Mota, Anjos, Carlos Pinto Coelho, Jorge Gabriel, Bárbara Guimarães, João Ferreira, Ricardo Pais, Dulce Pontes e Manuel Wilborg. A campanha contou com o apoio da CGD, CTT, PT e do Secretariado Nacional para a Reabilitação e Integração das Pessoas com Deficiência, atual Instituto Nacional para a Reabilitação.

2003

12 de março

Ano Europeu das Pessoas com Deficiência

A ACAPO fez parte da Comissão Nacional de Coordenação do Ano Europeu das Pessoas com Deficiência, “circunstância que conferiu uma dimensão e relevância a esta problemática nunca antes alcançada.” Entre os momentos marcantes deste ano, destaque-se a cerimónia de abertura, onde a mensagem das organizações não-governamentais foi lida em Braille por um jovem associado da ACAPO.

12 julho

Delegação da Guarda

Depois de um encontro realizado na Guarda que juntava diversas pessoas com deficiência visual, em janeiro de 2003 iniciavam-se os esforços para estabelecer uma Delegação da ACAPO naquela cidade. Meses depois, a 12 de julho de 2003, na presença do Governador Civil da Guarda, Joaquim Cândido Ferreira de Lacerda, tinha lugar a sessão de inauguração da Delegação da Guarda da ACAPO.

20 de outubro

Petição «Representatividade das Pessoas com Deficiência Visual nos Centros de Poder»

No dia do seu 16.º aniversário, a ACAPO, em audiência concedida pelo Presidente da República, Jorge Sampaio, entregou uma petição subordinada às questões de representatividade das pessoas com deficiência nos órgãos de poder. No dia 3 de dezembro, na Assembleia da República, decorreu o lançamento público da campanha de comunicação, bem como a sua apresentação aos órgãos de comunicação social.

5 de dezembro

Rua Louis Braille

Na sequência de uma proposta apresentada pela ACAPO e Comissão Braille, foi inaugurada no ano de 2003, uma rua com o nome do inventor do sistema de leitura e escrita para cegos, Louis Braille. A rua localiza-se perto do Centro Cultural de Belém, entre a Avenida da Torre de Belém e a Rua Vila Correia, à esquerda da Rua Bartolomeu Dias (sentido Terreiro do Paço, Torre de Belém).

18 de dezembro

Guia do Consumidor em Braille

A ACAPO, em estreita parceria com a DECO, apresentou em Lisboa o primeiro Guia do Consumidor em suporte Braille. Através deste projeto visou-se prestar um contributo para a igualdade de oportunidades no acesso à informação.

2004

9 de junho

Delegação de Lisboa muda de instalações

Nas instalações onde funcionava a Liga de Cegos João Deus fixa-se a Delegação de Lisboa da ACAPO. Até 2004 é na Rua de Sta. Marta, ou simplesmente «Sta. Marta» como muitos lhe chamam, que funcionam os serviços da Delegação de Lisboa. Neste espaço, para além do apoio social prestado a associados e utentes, funcionava um serviço de refeitório, bar, sala de convívio, biblioteca Braille e gabinete médico. Contudo, tratava-se de um edifício em “péssimas condições que a passos largos se aproxima da degradação total”, conforme já era referido por José Adelino Guerra em 1992, no n.º4 da Revista Luís Braille. Mas apenas muitos anos depois, quando o espaço já não oferecia condições de segurança, a Delegação de Lisboa abandona «Sta. Marta» e instala-se na Rua Rodrigues Sampaio. Esta mudança foi proporcionada por um protocolo estabelecido entre a Câmara Municipal de Lisboa e a ACAPO, a 9 de junho de 2004, que acorda a cedência de um novo espaço, “até que se encontre disponível outro espaço mais adequado ao seu perfil e atividades”, como se lê no acordo. São estas as instalações que até hoje acolhem os serviços da Delegação de Lisboa, mantendo-se apenas o bar e refeitório em «Sta. Marta».

Setembro

Abertura da Delegação de Montalegre

Com a assinatura de um acordo atípico com a Segurança Social, em 2004 iniciava-se o trabalho da ACAPO em Montalegre, distrito de Vila Real. Este acordo vinha permitir a contratação de um administrativo e de um técnico de serviço social. Em setembro de 2006, a Delegação é transferida para Vila Real, capital de distrito, para um espaço com mais e melhores condições de trabalho, o que veio também permitir um alargamento territorial dos serviços, passando também, a partir desta data, a prestar apoio a associados e utentes do distrito de Bragança.

8 de novembro

Protocolo Instituto Cervantes

Em 2008 estabeleciam-se as bases de cooperação entre a ACAPO e o Instituto Cervantes. O protocolo estabelecido entre as entidades tinha como finalidade facilitar o acesso dos associados da ACAPO, através da concessão de bolsas de estudos, aos cursos de língua espanhola promovidos pelo Instituto.

2005

12 de janeiro

África Lusófona

Entre 12 e 24 de janeiro, a ACAPO organizava em território nacional, uma formação de formadores dirigida às associações de cegos de Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau Moçambique e S. Tomé e Príncipe. Estas formações, promovidas no âmbito do projeto África Lusófona, visaram dotar os técnicos destas cinco instituições dos PALOP de conhecimentos na área da orientação e mobilidade, tecnologias de informação e comunicação e Braille.

Fevereiro

Campanha IRS

Nesse ano, era lançada a primeira campanha de consignação de 0,5% do IRS. A campanha marcava presença na rádio e imprensa escrita, e graças a uma parceria estabelecida com a Delta, nos pacotes de açúcar da marca.

6 a 13 de abril

Debate sobre Novas Tecnologias

Em 2005, a FNAC dedicava a 1.ª quinzena de abril à temática Cultura Urbana e Novas Tecnologias. A ACAPO era umas das instituições envolvidas na organização de dois colóquios, em Lisboa e no Porto, sobre as vantagens e o auxílio das novas tecnologias para acesso à sociedade informação por utilizadores com deficiência visual.

2006

Março

Comissão de Braille

Três anos antes, a ACAPO apresentava ao Secretariado Nacional de Reabilitação (SNR) um projeto para a criação de uma Comissão com competência para intervir em todas as matérias relacionadas com a problemática do Braille. Na altura, o projeto recebeu do SNR propostas de reformulação, uma das quais inaceitável para a ACAPO: o organismo não exigia que a presidência da Comissão Braille fosse ocupada por um responsável com deficiência visual. Esta divergência faria tardar a criação da Comissão de Braille mas em 1996 era apresentado um projeto de decreto-lei que finalmente atendia às exigências da ACAPO. A 22 de março de 1996 a Direção Nacional da ACAPO deliberava em reunião a adesão ao projeto, nomeando Fernando Matos para acompanhar a institucionalização desta Comissão. Todavia, os trabalhos desta Comissão não se desenvolveram de forma tão célere como desejável, tendo apenas elaborado e apresentado em 2002 a terceira versão da Grafia Braille para a Língua Portuguesa. Esta inatividade vinha ditar o fim da Comissão e em 2009, ano do Bicentenário do Nascimento de Louis Braille, dava lugar ao Núcleo para o Braille e Meios Complementares de Leitura. No início de 2015, este Núcleo apresentou uma nova revisão da Grafia Braille.

Março

Salas de Estimulação e Desenvolvimento

Por «Um mundo melhor», a ACAPO, no âmbito do projeto social do Rock in Rio Lisboa, em parceria com a SIC Esperança e BP, criava salas de estimulação e desenvolvimento nas Delegações do Algarve, Braga, Castelo Branco, Leiria, Porto, Viana do Castelo e Viseu. Esta valência que se converteu no Serviço de Estimulação e Desenvolvimento (SED) destina-se às pessoas com deficiência visual no geral mas foca-se essencialmente em crianças e jovens com esta deficiência. Através do trabalho conjunto entre utente, família e comunidade o SED responde às necessidades de habilitação/reabilitação da pessoa com deficiência visual, fomenta a aprendizagem e estimula o seu desenvolvimento de uma forma integrada e holística. Trata-se de um serviço que veio representar um grande passo na melhoria da autonomia e qualidade de vida das pessoas com deficiência visual, em especial de crianças e suas famílias, bem como ajudar professores e técnicos com atuação nesta área.

Setembro

Parceria Grupo Jerónimo Martins

No ano de 2006, a ACAPO e o Grupo Jerónimo Martins iniciavam uma parceria que viria permitir a criação de dezenas de novos postos de trabalho para pessoas com deficiência visual. Em setembro desse mesmo ano, realizavam-se assim os primeiros recrutamentos para os hipermercados Feira Nova e supermercados Pingo Doce. Mas foi em 2008 que se viria a registar um verdadeiro boom ao nível dos recrutamentos, com a contratação de dezenas de trabalhadores com deficiência visual.

22 de novembro

Seminário «De olhos postos na educação especial»

Integrado no Debate Nacional sobre Educação, a ACAPO e o Conselho Nacional de Educação organizavam o seminário «De olhos postos na educação especial». O seminário contou com a participação de diversos técnicos, especialistas, professores e testemunhos de alunos com necessidades educativas especiais.

2007

30 de janeiro

Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades para Todos

O ano de 2007 foi declarado como o Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades para Todos, com o objetivo de combater atitudes e comportamentos discriminatórios e informar os cidadãos sobre os seus direitos e obrigações. A ACAPO integrou a Comissão Nacional de Coordenação do Ano Europeu, dando o seu contributo na organização das iniciativas.

28 de fevereiro

Ação de sensibilização em centros comerciais

Entre 28 de fevereiro e 17 de maio, a ACAPO instalou em sete centros comerciais e de lazer da Sonae Sierra, percursos com obstáculos construídos à imagem da via pública. Nesta iniciativa, a ACAPO desafiava os visitantes dos centros a vendar os olhos, e com a ajuda de uma bengala, a ultrapassar algumas das dificuldades com as quais muitas pessoas com deficiência visual se deparam diariamente. Para esta ocasião foi desenvolvido o folheto «Guia do Guia», que pretendia transmitir alguns ensinamentos sobre a forma mais adequada de guiar uma pessoa com deficiência visual.

10 de maio

Integra 21

Poderá uma pessoa cega fazer a sua vida diária, através da utilização de websites portugueses? Será simples para uma pessoa cega fazer uso dos serviços disponibilizados pela Administração Pública na internet? E através das lojas de comércio eletrónico? Estas foram as questões que serviram de base a uma iniciativa promovida pela ACAPO, em parceria com diversas entidades, e que levou uma pessoa cega a fechar-se num apartamento e a tentar fazer a sua vida diária exclusivamente através da internet. Esta iniciativa, que pretendeu verificar os níveis de acessibilidade do comércio eletrónico em Portugal, viria a receber o Alto Patrocínio do Presidente da República.

15 de setembro a 15 de outubro

Campanha de angariação de fundos

A campanha de sensibilização e angariação de fundos, que anualmente decorre em todas as lojas Pingo Doce, iniciava-se em 2007. Esta 1.ª edição teve a duração de um mês, entre 15 de setembro e 15 de outubro, tendo decorrido em todos os supermercados Pingo Doce e Hipermercados Feira Nova.

11 de outubro

Seminário «Emprego para todos»

No Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades para Todos, a ACAPO promovia o seminário «Emprego para todos — como e porquê empregar um deficiente visual». A iniciativa, que contou com o Alto Patrocínio do Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, teve como propósito partilhar experiências positivas e motivar a contratação de profissionais com deficiência visual.

2008

Janeiro

Sistema de Encaminhamento para Pessoas com Deficiência Visual

Após sete anos de trabalho que envolveu testes realizados com a participação de associados da ACAPO, concluiu-se o desenvolvimento de um Sistema de Encaminhamento para Pessoas com Deficiência Visual, por um grupo de trabalho composto ainda pela REFER, METRO e INR. A sua implementação estava prevista nas estações do Metro de Lisboa e da REFER mas até hoje, a linha de segurança apenas foi instalada na rede do Metro de Lisboa e em algumas estações de comboio. 

29 de março

Formação para a comunidade

Em 2008 o Departamento de Apoio ao Emprego e Formação Profissional (DAEFP) da ACAPO começa a ministrar cursos de formação dirigidos à comunidade em geral. Entre 29 de março e 14 de junho, o DAEFP de Lisboa promove o primeiro curso de grafia de Braille, que contou com a participação de sete pessoas. Em 2011, as temáticas dos cursos de formação para a comunidade foram alargadas para a adaptação das TIC (tecnologias de informação e comunicação) e orientação e mobilidade. Desde então, o DAEFP apresenta anualmente um calendário de formação para o público em geral, nas cidades de Braga, Coimbra, Lisboa e Porto.

24 de abril

Jantar às Escuras

Em 2008 a ACAPO e a Chamartin Imobiliária, entidade que gere os centros comerciais Dolce Vita, promoviam um jantar às escuras, uma iniciativa ainda inédita em Portugal. A apresentadora de televisão Bárbara Guimarães apadrinhou este evento que juntou quase uma centena de pessoas, entre políticos e empresários, no centro Monumental Saldanha. A iniciativa coincidiu com a entrada em vigor de uma série de alterações físicas no centro comercial, que visam promover a integração social das pessoas com deficiência visual.

10 de outubro

Constituição ANDDVIS

Em 2008, a ACAPO estava diretamente envolvida na constituição de uma organização de desporto para pessoas com deficiência visual: a ANDDVIS. A cada três anos, a Direção Nacional da ACAPO nomeia um representante para integrar a Direção da Associação Nacional de Desporto para Deficientes Visuais.

15 de outubro

«Ensaio sobre a cegueira»

No Dia Mundial da Bengala Branca, a ACAPO promovia uma sessão especial do filme «Ensaio sobre a Cegueira», baseado na obra homónima de José Saramago. A exibição do filme contou com a presença da Secretária Adjunta e da Reabilitação, Idália Moniz e da Diretora do Instituto Nacional para a Reabilitação, Luísa Portugal. O objetivo da iniciativa consistiu em promover a reflexão e debate sobre a problemática da deficiência visual. Neste dia, em resposta a um desafio lançado pela ACAPO, Pilar del Rio, esposa do Nobel da Literatura e Bárbara Guimarães, apresentadora de televisão, percorreram algumas ruas da cidade de Lisboa de olhos vendados, com o objetivo de consciencializar a opinião pública para os obstáculos que diariamente prejudicam a mobilidade das pessoas com deficiência visual.

Dezembro

Comissão Nacional de Jovens da ACAPO

Com a necessidade de proporcionar aos jovens com deficiência visual a oportunidade de desenvolverem um espírito associativo e reforçar e promover a sua participação social, a ACAPO criou em 2008 a Comissão Nacional de Jovens. A CNJA tinha como principais objetivos incentivar a participação dos jovens no desenvolvimento social e cultural da Instituição; criar um espaço de reflexão e de debate sobre as questões da juventude e, também, sobre assuntos inerentes à deficiência visual; contribuir para a definição das linhas gerais de atuação da ACAPO em matéria de juventude, cultura e tempos livres; desenvolver o espírito e os valores associativos; e promover atividades de âmbito educativo/formativo, cultural, recreativo e desportivo. O «Aventura para Todos» tornar-se-ia no evento mais marcante desta Comissão.

2009

28 de janeiro

ACAPO-Actual

Com o fim da Revista Luís Braille, crescia a necessidade de ter uma publicação com periodicidade regular, sobre assuntos ligados às atividades da ACAPO. Nascia assim o boletim informativo ACAPO-Actual que a 28 de cada mês, salvo fim-de-semana ou feriado, chega à caixa de correio eletrónico de associados, dirigentes e colaboradores. O boletim que começou com quatro seções fixas, «O que fizemos», «O que vamos fazer», «Volta ao Mundo» e «Volta a Portugal», passou a partir de setembro de 2011 a reservar um espaço para os seus parceiros, em «Os nossos parceiros», e a divulgar as notícias veiculadas sobre os órgãos de comunicação social sobre a ACAPO, em «O que disseram sobre nós».

10 a 12 de julho

1.º Aventura para Todos

Até ao momento registam-se seis edições da atividade «Aventura para Todos», um encontro anual que proporciona a jovens com e sem deficiência visual, uma semana repleta de atividades radicais e desporto-aventura. O encontro, dirigido a jovens com idade entre os 15 e 30 anos, conheceu no ano de 2014 uma alteração significativa, tendo vindo a acolher a participação de crianças com idade a partir dos 8 anos e adultos com mais de 31 anos.

19 de junho

Para que serve o Braille?

A ACAPO, em estreita parceria com Delegação do Porto, organizou o seminário «Para que serve o Braille nos dias de hoje?». Neste seminário foi debatida a importância do Braille ao nível da educação e reabilitação das pessoas com deficiência visual e apresentados casos em que a utilização deste sistema se verifica extremamente útil: faturas, medicamentos, produtos alimentares, etc. O evento decorreu no ano das comemorações do Bicentenário do Nascimento de Louis Braille.

2010

30 de janeiro

Colóquio «As Escolas de Referência - Uma Solução Para os Alunos com Deficiência Visual?»

A questão serviu de mote ao debate que, em 2010, reuniu professores de educação especial, técnicos de reabilitação, investigadores, pais e alunos, no Centro Ismaili, em Lisboa. O seminário, subordinado à temática da educação, pretendia promover uma análise e avaliação do processo de inclusão dos alunos com deficiência visual no sistema educativo regular, à luz das medidas introduzidas pelo Decreto-Lei 3/2008.

15 de outubro

Centro de Atividades da Vida Diária

A Delegação de Viseu foi a primeira. Seguiu-se Coimbra, a 3 de dezembro, e Lisboa, a 10 de maio de 2012. Atualmente a ACAPO conta com três Centros de Atividades da Vida Diária (AVD), espaços que visam permitir às pessoas com deficiência visual, o treino de múltiplas atividades do quotidiano de modo a maximizar a sua autonomia nas rotinas diárias. Os centros, idênticos a uma casa de habitação, foram projetados a pensar na habilitação de todas as pessoas com deficiência, com particular enfoque nas que perderam recentemente a visão, sendo nele exploradas situações referentes à alimentação, higiene pessoal, segurança, vestuário, etc. Todos os centros foram resultado de candidaturas a linhas de financiamento do Instituto Nacional para a Reabilitação, IKEA e Banco BPI.

20 de outubro

Kit de Sócio

Visando a melhoria contínua da sua comunicação com atuais e potenciais associados, a ACAPO apresentava no dia do seu 21º aniversário, o Kit de Sócio. [link para kit de sócio] Trata-se de um guia que pretende facilitar o acesso a informações relevantes como a missão e valores da ACAPO, os direitos e deveres de associado, bem como sobre as vantagens que decorrem desta condição.

30 de novembro

Certificação da Qualidade

O final de 2010 fica marcado pela implementação de um sistema de gestão da qualidade na ACAPO, no domínio da representação dos interesses das pessoas com deficiência visual a nível nacional e internacional. A certificação foi atribuída à ACAPO, segundo os princípios da norma ISO 9001:2008, pela Associação Portuguesa de Certificação (APCER). No decorrer de 2013 a ACAPO, numa auditoria de renovação, viu reconfirmada a sua certificação e assim, atestado o cumprimento dos objetivos da qualidade, numa perspetiva de melhoria contínua.

2011

Fevereiro

Núcleo de Estudos para as Acessibilidades

A experiência que vinha adquirindo ao longo dos últimos anos na área das acessibilidades, levou a ACAPO a criar, em 2011, o NEIA – Núcleo de Estudos e Investigação para as Acessibilidades. Através da criação deste Núcleo pretendia-se pesquisar e sistematizar informação e conhecimentos nos diferentes domínios das acessibilidades; promover e/ou realizar investigação sobre a conceção, desenho e implementação de soluções ou de produtos que promovam o pleno acesso; participar ou dinamizar grupos de trabalho, consultadoria e construção de conhecimento em matéria de acessibilidades; produzir e difundir informação e boas práticas sobre acessibilidades, a nível interno e externo à ACAPO; e realizar, promover ou participar em ações de formação e de sensibilização, em congressos e eventos similares, sobre temáticas com interesse para as acessibilidades.

8 de abril

Registo e reconhecimento como ONGD

Face ao trabalho que tinha vindo a promover ao nível da cooperação com instituições dos PALOP, em 2011 a ACAPO era reconhecida pelo IPAD (Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento) como ONGD (Organização Não-Governamental para o Desenvolvimento). Com este registo e reconhecimento, a ACAPO alargava as bases de cooperação com as associações dos PALOP, iniciando com estas uma parceria cada vez mais estreita.

23 e 25 de setembro

Festival da Luz

Iniciava-se no ano de 2011 uma parceria entre a ACAPO e o Lumina, um festival de luz que transforma o espaço urbano com espetáculos de luz, esculturas, plataformas interativas, instalações e performances. Desde esse ano, a ACAPO, integrando o projeto social do festival, esteve presente no evento com uma grande escultura que representava o seu nome e que os visitantes eram convidados a “iluminar” com a compra de uma vela. Depois de Sintra, nos últimos dois anos, o evento teve lugar na vila de Cascais.

20 de outubro

Revista Louis Braille

Outubro de 2011 marcava um novo ciclo na vida da Revista Louis Braille. Após um interregno de dez anos, a Revista voltou ao encontro dos leitores com um novo nome “Louis Braille”, deixando para trás a sua tradução; embora sendo uma publicação detida pela ACAPO, os seus conteúdos passam a ser unicamente subordinados à temática da deficiência visual; e, por razões estritamente orçamentais, apresenta-se apenas, salvo raras exceções, em suporte digital. Até à data atual, conta com 12 edições publicadas com uma periodicidade trimestral.

3 de dezembro

1as Olimpíadas do Braille

As Olimpíadas do Braille afirmaram-se, desde a primeira edição, como o maior concurso nacional na área do Braille. Dirigido a conhecedores do sistema Braille, quer tenham ou não deficiência visual, o concurso pretende estimular o domínio correto deste sistema de leitura e escrita, bem como a sua aprendizagem e utilização constante. O concurso de periodicidade bienal voltou a ser organizado em 2013, dia 19 de outubro.

2012

Junho

ACAPO é constituída Entidade Prescritora de Produtos de Apoio

Em 2012 assistia-se a um novo arranque no sistema de atribuição de produtos de apoio. Nesse ano a ACAPO, credenciada como centro de recursos da rede do IEFP, é constituída como entidade prescritora de produtos de apoio no âmbito da formação profissional e emprego, prescrevendo através das suas equipas técnicas produtos de apoio imprescindíveis para o acesso ou frequência de ações de formação profissional e/ou o acesso, manutenção ou progressão no emprego por parte das pessoas com deficiência visual.

28 e 29 de junho

Congresso «Design Inclusivo»

O Núcleo de Estudos e Investigação para as Acessibilidades (NEIA) da ACAPO organizava, em 2012, o primeiro evento, o Congresso de Design Inclusivo. Através deste congresso a ACAPO pretendia apresentar exemplos de boas práticas nos domínios da arquitetura, design, transportes e acesso à informação e cultura e, em simultâneo, promover a partilha de saberes entre profissionais e pessoas com mobilidade reduzida presentes na iniciativa. Para além dos conteúdos, a organização esforçou-se por adequar todo o evento às necessidades dos participantes – local do evento, formato dos conteúdos, catering.

15 e 16 de outubro

Seminário «A Autorrepresentação das Pessoas com Deficiência Visual»

Três questões serviram de ponto de partida para a organização do seminário internacional «A Autorrepresentação das Pessoas com Deficiência Visual»: Que perspetivas existem sobre a autorrepresentação das pessoas com deficiência visual no século XXI? Que desafios encontram os autorrepresentantes? Que soluções para uma autorrepresentação mais eficaz? Pela primeira vez assistia-se em Portugal a um debate sobre os diferentes modelos de autorrepresentação e prestação de serviços adotados pelas organizações de pessoas com deficiência visual. A Sala do Senado, na Assembleia da República, foi palco deste seminário no qual marcaram presença instituições do Brasil, Cabo Verde, Estados Unidos, Espanha, Guiné Bissau, Moçambique, Noruega, Reino Unido e São Tomé e Príncipe.

3 de dezembro

«A Prestação de Serviços e a Promoção da Vida Independente»

No Dia Internacional das Pessoas com Deficiência a ACAPO apresentava o maior estudo sobre pessoas com deficiência visual realizado até hoje em Portugal. Quase 1500 pessoas com deficiência visual colaboraram com a ACAPO no preenchimento de um inquérito, cujos resultados permitiram traçar um quadro detalhado das suas necessidades e expetativas e a relação sobre os vários serviços prestados pela organização. Entre as conclusões deste estudo saliente-se a opinião da maioria dos inquiridos sobre o que deveria ser a atuação da ACAPO: uma instituição representante de interesses e prestadora de serviços de reabilitação.

7 de dezembro

Falecimento José Adelino Guerra

Entre as personalidades marcantes na fundação, crescimento e consolidação da ACAPO está José Adelino Guerra, respeitosamente tratado por colegas, associados e colaboradores da ACAPO como «Dr. Guerra». Fora um dos fundadores da ACAPO, onde desempenhara funções de Presidente da Direção Nacional, Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Direção Regional do Centro, Presidente do Conselho Fiscal e de Jurisdição e ainda diretor da Revista Luís Braille, bem como o primeiro presidente da CDAC. Licenciado em Direito, com um curso de especialização em Ciências Documentais, José Adelino Guerra criara na década de 90 o Serviço de Leitura Especial para Deficientes Visuais, na Biblioteca Municipal de Coimbra, onde trabalhou até à data do seu falecimento. Nesta edição especial, dedicada aos 25 anos da ACAPO, ficou a faltar o seu artigo e a análise aos anos em que presidiu os destinos da Direção Nacional da ACAPO. A seu lado, faltam tantos outros artigos e colaborações como a de Maria Alice Carvalho, a primeira mulher a desempenhar um cargo na Direção Nacional da ACAPO; Rui Silva, fundador da ACAPO e posteriormente como Vice-presidente da Direção Nacional e Presidente da Direção da Delegação do Porto; ou Filipe Oliva, membro fundador da ACAPO e presidente da Presidente da Liga de Cegos João de Deus à data da unificação e cujo nome e feitos são, por diversas vezes, referidos nesta cronologia.

2013

1 de janeiro

Projeto de cooperação em Cabo Verde

O objetivo era simples: ver melhor os cegos em Cabo Verde e promover e garantir o respeito pelos direitos dos cidadãos com deficiência visual como consumidores. O projeto da ADEVIC (Associação dos Deficientes Visuais de Cabo Verde), que contou com a consultadoria da ACAPO, propôs-se a melhorar os mecanismos de informação e divulgação sobre os direitos de consumo, consciencializando a sociedade e em simultâneo, adequar o mercado às necessidades das pessoas com deficiência visual.

1 de janeiro

Projeto de cooperação em Guiné-Bissau

A AGRICE - Associação Guineense para Reabilitação e Integração dos Cegos -desenvolveu durante o ano de 2013, em parceria com a ACAPO, o projeto de cooperação «Melhores Serviços, Mais Direitos». Neste projeto, que visava reforçar a capacitação e melhoria na intervenção da AGRICE, a ACAPO contribuiu para a formação dos quadros da organização, no que respeita à atividade de autorrepresentação e advocacia dos direitos de cidadania.

Março

Certificação EQUASS

Em 2013, quatro Delegações da ACAPO – Coimbra, Porto, Viana do Castelo e Viseu – finalizavam com sucesso um processo, iniciado em 2011, para a obtenção da Certificação da Qualidade no domínio da prestação de serviços, em conformidade com o referencial EQUASS. Este processo veio reforçar o comprometimento da organização com a qualidade e melhoria contínua e garantir aos seus parceiros a qualidade dos serviços que presta. A ACAPO objetiva, num futuro próximo, estender este processo de qualidade às demais Delegações.

Março

Comissão de Deficiência

A convite do Secretário de Estado da Segurança Social, a ACAPO integra desde o início de 2013, a Comissão para a Deficiência, que tem como missão proporcionar a participação do movimento associativo no desenvolvimento, implementação e acompanhamento das políticas públicas respeitantes a estes cidadãos. As áreas da deficiência estão representadas nesta Comissão, por mais duas associações, cabendo à ACAPO a tarefa de representar os interesses das organizações não-governamentais de pessoas com deficiência sensorial.

31 de março

Fundo MAIS

Era criado na 70.ª reunião da Assembleia de Representantes o Fundo MAIS, destinado a dar suporte a projetos de caráter extraordinário e relevante. O fundo é constituído por um conjunto de bens, móveis e imóveis, que têm sido legados à ACAPO através de heranças, assim como os rendimentos que de si provêm. A criação deste fundo marcava um ponto de viragem na gestão financeira da organização já que, pela primeira vez na sua história, assumia também o papel de investidora.

Maio

ACAPO é reconhecida como entidade prescritora de produtos de apoio pela Segurança Social

Em maio de 2013 o Conselho Diretivo do Instituto da Segurança Social designa a ACAPO, através das suas Delegações de Faro, Lisboa, Leiria, Castelo Branco, Coimbra, Viseu, Vila Real, Porto, Braga e Viana do Castelo, como Centro Especializado Prescritor de Produtos de Apoio. Este reconhecimento confere-lhes a competência de prescrever produtos de apoio que visem promover a autonomia e melhoria da qualidade de vida das pessoas com deficiência visual.

20 a 22 de setembro

Reunião anual da Comissão de Ligação da União Europeia de Cegos com a União Europeia

Em 2013, Portugal era o país anfitrião de uma reunião da Comissão de Ligação da União Europeia de Cegos (UEC) com a União Europeia. O evento, que contou com a coorganização da ACAPO, reuniu cerca de 50 participantes oriundos de 19 países, de entre os quais se destacava o presidente da organização europeia, Wolfgang Angermann.

2014

Julho

Plano Estratégico de Angariação de Fundos

O projeto «Olhos postos no Futuro», aprovado no final de julho de 2014, no âmbito do Programa Cidadania Ativa da Fundação Calouste Gulbenkian, irá permitir à ACAPO cumprir, mais do que um desígnio, uma necessidade identificada desde a fundação: diversificar as suas fontes de financiamento. O projeto irá ser desenvolvido em parceria com a congénere norueguesa, Norwegian Association of the Blind and Partially Sighted [Associação Noruega dos Cegos e Amblíopes] e tirando proveito do trabalho de sucesso desta associação, desenhar e implementar um Plano Estratégico de Angariação de Fundos.

Setembro

Projeto «Ver pela Arte»

A ACAPO e o Centro Nacional de Cultura desenvolvem no ano letivo 2014/2015 o projeto «Ver pela Arte» que visa possibilitar o ensino da música a crianças, jovens e adultos com deficiência visual. Identificada uma lacuna ao nível do ensino de música para cegos, onde atualmente são encontradas experiências meramente pontuais, «Ver pela Arte» irá permitir desenvolver um projeto-piloto na Escola de Música de Nossa Senhora do Cabo, que futuramente poderá ser aplicado por qualquer escola do país.

13 e 14 de setembro

Programa de Formação

Tratando-se de uma necessidade há muito identificada, em setembro deste ano a ACAPO iniciava um programa de formação e capacitação destinado aos seus dirigentes. Recursos humanos, gestão financeira e liderança foram as áreas abrangidas na primeira fase do programa de formação.

Outubro

Ensino superior mais acessível

Tornar a frequência no ensino superior mais acessível a alunos com deficiência visual e auditiva é o objetivo de um projeto que junta a ACAPO, a Universidade Aberta, a Fundação Calouste Gulbenkian, a Associação Portuguesa de Surdos e ainda parceiros internacionais eslovenos, italianos e suecos. Este projeto visa a identificação das necessidades de alunos com deficiência visual e auditiva, e com base nestes resultados, construir um manual com diretrizes que apoiem as universidades a desenvolver práticas de ensino mais acessíveis.

2019

11,12 e 13 de abril de 2019

I Congresso Internacional da Deficiência Visual e II Congresso da ACAPO.

Entre os dias 11 e 13 de abril de 2019, a Fundação Calouste Gulbenkian em Lisboa, acolheu o I Congresso Internacional da Deficiência Visual e II Congresso da ACAPO.


No ano em que comemorou o seu 30º aniversário, a ACAPO promoveu o seu I Congresso Internacional da Deficiência Visual e II Congresso da ACAPO, com o tema "Sociedade Inclusiva + Participação Responsável = CIDADANIA PLENA.

Procurámos trazer a este Congresso um conjunto de especialistas nacionais e internacionais, de cada área de intervenção da Deficiência Visual, que nos virão fazer um balanço da atual situação: analisar o passado para prospetivar o futuro.


Ao longo dos anos, os impactos mais positivos do trabalho da ACAPO têm-se centrado sobretudo no contexto da defesa e promoção dos direitos e interesses das pessoas com deficiência visual.

Com este Congresso, conseguimos produzir uma visão globalizante sobre a deficiência visual e as atuais políticas a ela referentes, fundada numa abordagem plural e amplamente participada das problemáticas que estiveram em análise.